Programa Social Pescar

Hoje, mais de 100 empresas parceiras, espalhadas pelo Brasil, de setores diversos,
emprestam seus espaços à Fundação Projeto Pescar, onde é montada uma sala de
atividades, e um laboratório, a depender da demanda de cada curso. Essa vivência,
num ambiente simulado para a aprendizagem, traz uma perspectiva concreta do que o
adolescente precisa, estimulando os jovens a se prepararem para a vida profissional.
Essa metodologia é importante para o desenvolvimento pessoal, pois são trabalhadas
atitudes, tais como: cumprimento de regras, postura, disciplina e o respeito à
diversidade de opiniões e à hierarquia organizacional.

Iniciação Profissional
O Programa Social Pescar dispõe de diversas áreas de iniciação profissional, que
contempla 40% da carga horária total. São 20 áreas dispostas em seis eixos
tecnológicos: Gestão e Negócios, Manutenção, Produção e Processos, Ambiente e
Saúde, Informação e Comunicação e Petróleo e Gás. Cada Unidade Projeto Pescar
define, em conjunto com a Fundação, qual área será contemplada na iniciação
profissional dos jovens. Já os outros 60% da carga horária do Programa são dedicados a formação do jovem nos aspectos de desenvolvimento pessoal e cidadania.
Nesse processo, que dura aproximadamente um ano, o educador social, com
formação em pedagogia, psicologia ou serviço social, acompanha a evolução dos
jovens e todos os fatores da aprendizagem, que vão desde uma conversa inicial com a
família no momento da inserção do jovem no Projeto Pescar, passando pela frequência escolar, até a constituição da turma e a evolução do programa.

Metodologia do Projeto Pescar

Metodologia do Projeto Pescar prevê a participação dos colaboradores como voluntários. Na foto, café de integração com voluntários da Unidade HERC, em Porto Alegre/RS